segunda-feira, 31 de dezembro de 2007

Previsões 2008!

Devido ao sucesso constatado nas previsões 2007 e o pedido incessante por parte dos leitores, seja pelos comentários em outros posts ou lotando a caixa de e-mail do blog suplicando por previsões concisas para o próximo ano, resolvi explanar alguns dos fatos mais marcantes que ocorrerão.
* Econômica e politicamente falando, 2008 será o ano do etanol. Enquanto muitos falam em sustentabilidade ou aquecimento global e suas possíveis soluções, o governo brasileiro substituirá suas famosas e lucrativas monoculturas, caso da soja, do milho e do arroz, pela cana de açúcar. E não será para a produção da célebre aguardente brasileira, será para o etanol, novo combustível orgânico que irá dominar o mundo, fazendo com que o petróleo desvalorize, a OPEP entrará em guerra e o Brasil criará a OBEE (Organização Brasileira Exportadora de Etanol), isto porque possuirá em torno de 76,38% da produção de etanol do planeta, seguido do longínquo Estados Unidos, com apenas 6,98% da fatia de mercado. Logo o PIB brasileiro para 2008 irá superar a expectativa do início de ano que será de 5,2%, atingindo um valor pouco acima dos 100%.
* No que se refere ao entretenimento a surpresa do ano virá da terra do Tio Sam, mais precisamente em Hollywood já agora no mês de fevereiro. Isto mesmo, o Oscar 2008 destinará uma tremenda alegria a nós brasileiros. Obviamente advinda do filme Tropa de Elite, mas a mais famosa e cobiçada estatueta dos filmes não será devido ao melhor filme estrangeiro, como todos pensam e irão torcer. E sim pelo mérito de melhor ator, para o ator/PM/protagonista e global Capitão Nascimento, que na trama interpreta o personagem chamado Vagner Moura. Não preciso nem citar que ao receber o prêmio do ator americano Jim Carrey, que no instante estará rindo, o Capitão - devidamente fardado - apenas sussurra um “thank you” para a platéia se vira para o comediante e lhe dando fortes tapas, grita em frente a sua face: “ask to out, ask to out!”
* No mundo dos esportes, não só o mundo como também o Brasil estará voltado para Pequim, palco do maior evento esportivo de 2008. Abertura sublime, jogos disputadíssimos, tudo como de costume para uma Olimpíada. O principal destaque dos jogos ficará com o norte americano Michael Phelps, e não será pelas 13 medalhas de ouro que irá ganhar (será o recorde em uma só Olimpíada), e sim pela perda das 13 medalhas de ouro que iria ganhar (seria o recorde em uma só Olimpíada) devido ao dopping do atleta pelo uso da substância naftainsulibenzetilemorfitenol (substância não muito facilmente encontrada usada para o crescimento dos músculos, usado mais em casos de.. bom, como eu disse, músculos). Sendo assim, Tiago Pereira, que na ocasião teria ficado com os 13 segundos lugares, passa a receber as 13 medalhas de ouro (será o recorde em uma só Olimpíada) fazendo com que o Brasil fique na maravilhosa 6ª posição no quadro de medalhas, casualmente uma posição acima dos EUA.
Vocês podem estar surpresos pela hegemonia do Brasil sobre os EUA. Porém são fatos irreversíveis, e ainda há muitos outros que irão ocorrer durante o ano que fará com que George W. Bush venha pedir socorro ao molusco mais popular do Brasil.
Muitos brasileirinhos irão nascer, como de costume, o que fará com que o Brasil chegue ao índice de 190 milhões de brazucas. Outros tanto irão morrer, entre famosos e não famosos terá um que ao partir para o outro mundo causará um grande choque nesta nação, devido sua enorme popularidade, principalmente na cidade de São Paulo, sendo ele um ícone da televisão brasileira. É evidente que não irei citar seu nome, uma vez que seria imoral de minha parte, nem que me paguem em barras de ouro (que vale mais do que dinheiro), e sua vida não tem como ser poupada, nem suplicando para todos os Santos.

A única certeza mesmo que temos sobre 2008 que este não será um ano ímpar, diferentemente deste nosso ultrapassado ano de 2007. Então me despeço, desejando (eu juntamente de meus colegas Luis e Neitor) um 2008 de anseios realizados e sonhos materializados em realidade a todos NÓS!!!

OS MEMBROS DO LENOUVEAUX TE DESEJA UM FELIZ 2008!!

domingo, 30 de dezembro de 2007

Piada do gordo

Bem .. eu não poderia terminar o ano sem contar uma piada para vocês, é aquela do papagaio que faz [...] não essa não, piada de papagaio ninguém agüenta mais. Mas eu contando uma piada? Sério, não serve não.

Tem que ter o dom, em geral são os gordinhos que o detém, magrelos não. Então escolhi para o vídeo de domingo este ícone do sobrepeso nacional, humorista, e o que mais ele quiser ser.

Simplesmente sensacional, o gordo consegue uma façanha. È uma piada realmente sutil, e deixa [deixa?] um recado para toda a sua vida. Acreditem, algum dia, na hora em que mais precisarem, vocês irão lembrar disso:

Beijo do magro, e feliz ano novo para vocês.


sábado, 29 de dezembro de 2007

Review: Laranja Mecânica (A Clockwork Orange)

Gangues arruaceiras, desprovidas de piedade e respeito. Um tempo em que forças eram medidas, seja entre as próprias gangues ou delas contra a sociedade/polícia. Drogas e violência faziam parte do cotidiano e eram força motora das gangues.
Alex (Malcolm McDowell) em Laranja Mecânica é líder de uma dessas gangues que tomam leite misturado com drogas, roubam e se utilizam de ultraviolência, estuprando e matando suas vítimas. Porém, quando capturado pela polícia ele passa a ser utilizado como cobaia de um novo e árduo tratamento de reabilitação implantado pelo governo. O problema ocorre justamente quando Alex retorna às ruas e percebe que os papéis estão invertidos, agora os inocentes se tornam culpados e ele tem de enfrentar a ira daqueles que um dia foram vítimas.
O filme possui um profundo estudo do comportamento e hipocrisia da sociedade, em uma obra de arte única que Stanley Kubrick. Alex, o personagem principal do longa mistura palavras em inglês, russo e algumas gírias. Trata de assuntos polêmicos que transpassam anos e décadas, visto que o filme é de 1971 e ainda hoje podemos notar gangues nas ruas, violências e repúdio da sociedade quanto a essas pessoas que estão a margem da sociedade.

quarta-feira, 26 de dezembro de 2007

Crazy people – Fim de ano

No modelo Drops:

Natal já é começo de fim de ano, o Papai Noel da Coca-Cola e o Chester da Perdigão são as principais lendas remanescentes. A wikipédia diz que a perna mecânica do Rei Roberto Carlos é verdade, então, não é mais lenda.

Estourar foguetões, antes do fim de ano é a polícia entrando no morro, no final do ano troca-se o nome para queima de fogos, que é muito mais chic e simboliza alguma coisa entre o instinto selvagem da pessoa e a prosperidade.

O colesterol e o diabetes que te matavam durante o ano tendem a ser esquecidos, porque panetone, chocotone, bolo, fios de ovos e docinho póóódi, o que não pode é atrapalhar o lanchinho dos outros.

E se você for o dono da casa, e não um dos tios engraçados que só aparecem no final do ano, você é um herói. Já que não está na festa da firrrma recomendo uma festa bem graduada, etilicamente falando.

domingo, 23 de dezembro de 2007

skate x skate

No início da década de 1960, os surfistas da Califórnia queriam fazer das pranchas um divertimento também nas ruas, em uma época de marés baixas e seca na região. Inicialmente, a nova "maneira de surfar" foi chamada de sidewalk surf. Em 1965, surgiram os primeiros campeonatos, mas o skate só ficou mais reconhecido uma década depois.

Bem, aqui na roça só ficou conhecido uns 30 anos depois, mas não deu certo, as ruas não eram como as da Califórnia. Vocês vão entender qual é o drama, é como você não poder ter uma ferrari porque ela não pode descer o penhasco que é a garagem do seu apartamento.

A evolução do skate foi incrível:



Mas a adaptação à roça não é a mesma coisa:

A qualidade dos vídeos tá uma uva.

quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

A nova CPMF

"Se ele [Mantega] for sincero, a gente leva a proposta [pela aprovação da CPMF] para a bancada" "Nós não vamos nos acalentar com cantigas" afirmou o líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio Netto (AM).


E parece que eles foram sinceros ao exigir a sinceridade. Afinal, o governo rebolou nas desculpas esfarrapadas que vira e meche inventava para aprovar o “imposto do cheque”. Os tucanos, fazendo papel de oposição, dizem que não é mais preciso a contribuição, digo, imposto, não não, a contribuição, eterna. Mantega diz que .. bom não importa, ele é superficial demais, o importante só surgiu como a ultima alternativa para a aprovação – que também não deu certo – e talvez como aquilo que todos merecem ouvir, a CPMF servia para combater a sonegação fiscal. Demorou, mas foi dito. E eu pergunto, doeu?

O cruzamento das informações derivadas da cobrança da CPMF com as declarações de Imposto de Renda dos contribuintes é um poderoso e importante instrumento de combate à sonegação fiscal. E o mais importante, para o governo, é barato, e rende muito.

Feito este raciocínio, entramos na questão do percentual, lógico que como tudo onde o governo põe a mão, ele tira uma casquinha, e assim surgiu o percentual de 0,38% que, com desculpas mil, aumentou, continuou, mudou de propósito e acabou ficando na mão do governo quase que por completo, e abastecia alguma ‘eventual’ fanfarronice governamental.

Temos ainda que o combate à sonegação fiscal e fanfarronice governamental se completam, com CPMF e DRU, respectivamente. A DRU (Desvinculação de Recursos da União) também tem a sua história para boi dormir, resumindo, ela permite que 20% da arrecadação seja usada livremente, dá mais liberdade aos gastos do governo.

A propósito, presidente, CPMF é coisa de rico, que não devia reclamar? É lógico que não é bem assim, a carga tributária já é alta, não agrada, não retribui e de quebra ainda respinga em todo canto, até no pobre cidadão, que paga boa parte dos custos gerados pelos impostos.

Bem, por enquanto você pode ler a História-da-CPMF, mas a nova CPMF, só hoje de tarde, talvez.

terça-feira, 18 de dezembro de 2007

La-men-tá-vel

E a Folha publicou do dia 14.12 a notícia que foi aprovada pela Comissão de Constituição e Justiça da Câmara o projeto que proíbe o uso de expressões e termos estrangeiros por todos os meios de comunicação quinta-feira passada (13.12). O projeto, que tem autoria do Dep. Aldo Rebelo (pecê dobê), regulamenta toda e qualquer utilização de termos estrangeiros em informações comerciais, propagandas publicitárias e qualquer outra forma de veiculação de informação.

O ilustríssimo deputado disse que o objetivo de tal projeto é estimular o ensino e o aprendizado de nosso idioma. Mas será o Benedito?! Que tal criarem projetos para assegurarem que *todos* alunos da quarta série saibam, de fato, ler e escrever? Em um mundo totalmente globalizado onde para se arranjar um emprego bacana nem perguntam se você sabe inglês, mas a entrevista é em inglês, o ilustríssimo quer afastar ainda mais o idioma mundial de nosso meio.

São notícias como esta que realçam a minha indignação pela esquerda brasileira. Uma vez a esquerda tinha o papel de se contrapor à direita com o objetivo de manter a dialética e manter o bom funcionamento do estado sem viézes ou parcialidades. Hoje temos uma esquerda totalmente inútil, com projetos non-sense que só deixam o estado mais pesado e improdutivo.

Na real que eu acho que ficaria muito menos espantado/revoltado se ouvisse que algum deputado vermelhinho propôs extingüir a língua portuguesa do Brasil e adotar o inglês como a língua oficial. Muito pelo contrário, aí sim ele estaria fazendo o papel dele, de propor coisas absurdas e totalmente ridículas, para serem rejeitadas mas, no entanto, ponderadas. E então, suscitar, emergir a necessidade do aprendizado da língua inglesa em nosso país, que atualmente é reservado para as classes altas, o que por conseqüência, acaba contribuindo para aumentar ainda mais a desigualdade social.

Por enquanto, temos que nos contentar com uma esquerda que propõe projetos absurdos e totalmente ridículos, mas aprovados. Lamentável.

.

segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

Meias de seda a prova de balas (coming soon)

Sabe aquele tipo de coisa que quando você vê, pensa: "nossa, como eu não tinha pensado nisso antes?!" pois é, os japoneses pensaram.

Vamos aos fatos: 1. que aquele fio produzido pela aranha na construção de suas teias é um dos mais resistentes, não é novidade para ninguém;
2. que a seda criada pelo bicho de seda é uma das matérias-primas mais caras do mundo, que produz um dos tecidos mais nobres, também não é novidade.

Agora, ligue os pontos. Sim, segundo a BBC, cientistas japas já pensaram nisso antes e conseguiram implantar genes da aranha em bichos-da-seda para a criação de uma fibra duas vezes mais resistente que a seda comum. A reportagem também diz que a fibra resultantes do novo processo é tão forte quanto a fibra sintética Kevlar, utilizada na confecção de coletes à prova de bala.

A aplicação dela que é meio inusitada. Será utilizada na fabricação de meias especiais.
Não tá acreditando?! Leia a matéria completa.

domingo, 16 de dezembro de 2007

É natal !!

Certo, não é agora, mas é a hora de vocês verem isto, parece que o Papai Noel (Pai Natal, lá..) está passando por apuros, o espirito de natal não é mais o mesmo. A sociedade moderna está cheia de seguidores dos garotos podres, por isso o Papai Noel tem que esconder na sua casa do Polo Norte, bem, fazendo as adaptações necessárias seria no Acre.

A não adaptação do Pai Noel à sociedade em geral fica evidente:



E a própria sociedade capitalista tenta acabar com a sua mais bela (e rentável) criação:



E enquanto você estiver fazendo a sua ceia, lembre-se:

Papai Noel, porque eu nunca ganho presentes?
Menininho africano no colo do bom velhinho sobre presentes de natal

Criança que não come não ganha presente
Papai Noel para menino africano

sábado, 15 de dezembro de 2007

Review: Casablanca



Romance rompido, promessas quebradas. A dor de carregar uma separação inesperada ou o complexo de culpa, durante anos. O retorno inesperado, os sentimentos reacendidos. Razão contra emoção, decisões a serem tomadas, vidas sem rumos.
Casablanca, assim como o nome do filme, é o nome de uma cidade no Marrocos, cidade de passagem obrigatória para quem quer fugir da Segunda Guerra Mundial para Portugal. É em Casablanca que Rick Blaine (Humprey Bogart) mantém o seu famoso e movimentado bar, onde ocorrem algumas transações ilegais, entre jogatinas e subornos. Em uma noite como qualquer outra, eis que adentra ao bar um importante homem da resistência com sua mulher, justamente o antigo amor de Rick que ele nunca esquecera e que lhe causara muito sofrimento. Entre lembranças e mágoas do passado, ele deve fazer uma importante decisão; abrir mão do grande amor ou da sua vida cheia de encantos e prazeres.
Vencedor de 3 Oscar (Filme, Diretor e Roteiro), é um clássico que permanece vivo até hoje na memória de todos devido ao seu romantismo único. Foi também um dos primeiros filmes a ter a Guerra como pano de fundo para que sua história acontecesse. Neste ano o filme está completando seu 65º ano (exibido em 1942) e foi responsável pelo sucesso da música “As time goes by”. Para os adoradores de romance, este é um excelente clássico que engloba todas as minúcias de um ótimo filme do gênero.

quinta-feira, 13 de dezembro de 2007

Sobre a Phillips e sua estratégia de marketing

E leio hoje na Exame que aquele comercial tosco da Phillips criado pela áfrica e criticado por meio mundo na verdade foi uma estratégia de marketing para dar à marca uma nova roupagem, visto que a empresa já cogitava a entrada na área de notebooks. Vamos por partes.

A revista traz uma entrevista/reportagem com paulo zottolo, presidente da Phillips do Brasil e responsável pela entrada da empresa na ramo de computadores portáteis. Segundo a entrevista, o presidente recebeu consecutivos "nãos" do conselho diretor da Phillips na Holanda, mas pela insistência e pelo fato de o mercado de notebooks no Brasil estar em franca expansão, os diretores acabaram cedendo à idéia.

O que mais me inquieta nessa história toda, é a 'coragem' da phillips de entrar em um mercado com barreiras altíssimas de entrada e maiores ainda de saída. Este mês terminei de ler "Estratégia Competitiva" do so-called "guru" Michael Porter, e lá é tratado especificamente sobre isso. Quando que uma empresa deve entrar (ou não) em determinada indústria, ou uma sub-área desta. Cita vários exemplos de empresas que procuraram se integrar horizontalmente e não foram muito felizes em sua estratégia. Com o avanço da tecnologia, em que um dos fatores que mais conta é a especialização, nem o integrar verticalmente é uma boa idéia.

Porter, logo nos primeiro capítulos, evidencia três estratégias genérias que toda e qualquer empresa, deveria utilizá-las.
São elas:
1. Preços;
2. Especialização e;
3. Enfoque.
Pelo que vejo, a Phillips não se enquadra muito bem em nenhuma delas.

Em relação ao preço, o notebook mais barato que a Phillips vai lançar, custará R$3,999 que, definitivamente, não competirá com os da Amazon PC, Positvo entre outros, que montam qualquer coisa lá e vendem por menos de R$2,000.
Com relação ao enfoque, os notebooks da phillips, que a princípio lançará apenas dois modelos, um de 11,1" e outro de 13,3", concorrerá diretamente com os "minis" sony vaio (que, ok, são bem mais caros). Mas cá entre nós, quem está interessando em comprar um notebook pequeno e potente dificilmente será sensível a preço. Além do mais, vaio já tem um nome muito forte no mercado e ainda é sonho de consumo de muita gente por aí.
E com relação a especialização, a Phillips não produzirá o menor notebook do mercado, nem o mais leve, nem o mais potente e muito menos é um mac. Não precisa dizer mais nada, né.

Sobre a campanha, o modelo foi o mesmo que o próprio marqueteiro Zottolo utilizou quando ainda estava na Nívea na década de 90, quando colocou a Gisele como garota-propaganda com a idéia de renovar a marca e tal. Para alegria dele, funcionou. O problema é que a Nívea é uma empresa de cosméticos e afins enquanto a Phillips lida com tecnologia. São ramos totalmente diferentes em se tratando de marketing e propaganda com público alvo totalmente distintos.
Colocar a Ivete como garota-propaganda com intuíto de dar uma nova cara à marca para começar a vender notebooks, a meu ver não foi uma estratégia muito acertada. Anyway, esperemos para ver.

Vale lembrar que há um tempo, a Phillips tentou sem sucesso entrar no mercado de celulares.

terça-feira, 11 de dezembro de 2007

Tecnologia ambiental

Mega soluções já foram anunciadas por pesquisadores de todo o mundo para o grande desafio da humanidade neste milênio: reverter o atual quadro de aquecimento global. O que muitos cientistas talvez tenham esquecido é de que as melhores idéias geralmente são as mais simples.

Era exatamente isso que eu precisava ouvir/ler sobre o mercado de carbono, o que não por acaso faz o caminho contrário dos grandes eventos que na prática nada ou muito pouco contribuem. Ok, eu reconheço a importância teórica deles, mas toda aquela formalidade e clima de empurra-empurra, ameaças diretas, indiretas, medinho dos covardes .. enfim.

Vamos fugir um pouco da umbigosfera e pensar em:

Usinas termoelétricas, chaminés de indústrias e escapamentos de veículos, o terror dos ambientalistas. A tecnologia, agora, viabilizada pela empresa catarinense CarbonoBrasil Tecnologia e Serviços Ambientais engloba a limpeza dessas fontes de poluição, com uma única alternativa, o plasma térmico.

Como isso aqui não é um blog de linguagem técnica basta dizer que o tal plasma transforma gases da combustão, como CO2; CO; N2O2 e outros, em substâncias não poluidoras, como oxigênio, hidrogênio e nitrogênio gasosos, além de carbono e enxofre sólidos, estes, também tem outras finalidades que não virar lixo sujo.

Em laboratório a tecnologia já foi testada e aprovada, os primeiros testes reais, vão ser realizados na usina termoelétrica do Aterro Bandeirante, em SP, que já ganha créditos de carbono por queimar o metano (CH4) proveniente da decomposição da matéria orgânica para transformá-lo em CO2 e água, além de gerar energia elétrica de forma quase-limpa. O plasma térmico atuando no fim do ciclo já implantado tornará a usina livre de emissões (carbon free), definitivamente.

Isso é o mercado de carbono, na prática.

Fonte: Carbono Brasil

segunda-feira, 10 de dezembro de 2007

Desafio Nospheratt - Parte II

Continuando o desafio nospheratt então, o quarto desafio foi o "feche para balanço" que sugere fazer uma análise sobre o ano de 2007, listando quais expectativas e metas foram alcançadas e se estamos satisfeitos ou não com o blog. Particularmente, costumo fazer isso mensalmente, mas fazer isso analisando o ano inteiro é uma boa também. Penso que isso é uma questão muito mais particular do que público para expôr por aqui. Talvez quando Le Nouveaux abrir capital, seja necessário divulgá-los, mas enquanto isso, deixamos assim.

:: desafio cinco: o que aprendemos sobre blogs em 2007.
Penso que consegui aprender pacas sobre blogs, principalmente depois que resolvi levar esse negócio mais a sério e não usar o blog apenas como um amontoado de palavras muitas vezes desconexas.
Tentarei listar aqui as 5 principais coisas sobre blogs que aprendi em 2007:
1. Blog é fonte de conhecimento para quem lê. pode-se aprender muito em blogs, mas tem que saber escolher os blogs. tem muita gente falando bobagem por aí
2. Blog é fonte de conhecimento para quem escreve. se você quer levar seu blog a sério e não escrever bobagens por lá, você deve pesquisar sobre o assunto antes de escrever qualquer coisa.
3. Por causa do blog, tive que rever meus conhecimentos em HTML e comecei a aprender CSS (não, não cansei de ser sexy. cascading style sheets), mas só comecei mesmo.
4. Para blogar, você precisa de tempo e sobretudo disposição. levar nas coxas não é o canal.
5. A melhor campanha de SEO que você pode fazer, é colocar conteúdo no blog. não conteúdo que interessa apenas a você, mas conteúdo bacana que traga intertenimento/informação e faça com que seus leitores voltem periodicamente.

:: desafio seis: decore seu blog
Bom, o blog (ainda) está usando um tema do próprio blogger muito pouco customizável. E falta ainda conhecimentos aprofundados em html e css para deixá-lo mais personalizável não apenas para o natal, mas para todas periodicidades do nosso calendário.

:: desafio sete: objetivos 2008
Sempre é meio complicado fazer planos, apesar da nossa eterna dependência deles. Acho que a principal meta para 2008 é evoluir em conteúdo. Não colocar posts apenas para chamar para-quedistas, mas que atraiam um determinado nicho e/ou que ofereça alguma utilidade para a sociedade como um todo. Mas a diretoria do blog, juntamente com seu Conselho Administrativo se reunirá em breve, cuja a pauta principal será o Master Plan 2008.

Aí está, mais quatro passos foram dados. O próximo desafio já foi dado "faça uma enquete". mas isso fica para um próximo post.

domingo, 9 de dezembro de 2007

Golden Shower

O texto é para você, querido leitor, que depois de passar direto para ver os vídeos vai ter uma preguiça danada de procurar sobre o assunto, assim, facilitamos a sua vida com esse breve resumo da vida e obra dos caras.

Quando um astuto pesquisador do século XXIII for pesquisar os grandes nomes da História da Música ele terá alguns problemas. Terá todas as informações que quiser sobre a surdez de Beethoven, a loucura de Mozart e a impotência de Brahms; mas sobre o Golden (Shower)? Só declarações do tipo "Quem são esses caras?" ou que eles não são música eletrônica ou o Caetano (quem?) bla-bla-blazando qualquer bobagem.

Markus Karlus e Kevin Rodgers não são as beldades universitárias por quem se fazem passar. Na verdade, os dois são uma dupla de produtores, hitmakers convictos, malignos, maquiavélicos e nefastos, que acumulam sucessos desde a época das marchinhas ufanistas do regime militar. Eles, que agora posam de adolescentes intelectuais alternativos, já tiveram disputas pelo topo do hit-parade com gênios da MPB como Sullivan e Massadas ou As Frenéticas.

Eles queriam algo novo e tinham um verdadeiro fascínio pelo ‘dourado’ se é que vocês me entendem. Após várias sugestões de estilo, e muito pensar, sentiram que deveriam homenagear uma era inteira, os ANOS 80, e assim fizeram, com louvor.

Falar isso hoje em dia é ter a certeza que Sidney Magal vai voltar a ter seus 280 minutos de fama, e que alguma roupa ridícula vai voltar a ser a mais nova moda. Mas esse é o trauma que foi gerado com o recente resgate de tudo que fosse condizente com o ultra-filtro-tendencioso-para-o-que-houve-de-ruim na época. Vale dizer também que os não nerds começarão a procurar episódios dos cavaleiros do zodíaco para download.

Com Markus Karlus e Kevin Rodger, porém, o Golden Shower levu o nome do ATARI para a história! Deliciem-se:





Gostou, então aqui tem: Site oficial, MySpace e Orkut do projeto Golden Shower.

quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

Desafio Nospheratt

Como eu tinha prometido participar da campanha "21 dias para fechar o ano com chave de ouro" da Nospheratt e dar uma "geral" no blog até o final de ano, tenho que começar logo antes que seja tarde demais.

O primeiro desafio era fazer uma faxina no blog. Como a gente ainda usa plataforma blogger, não tem muito o que se fazer/limpar, a não ser alguns links quebrado que já foram limpados.

O segundo desafio era organizar a caixa de ferramentas. Sempre procuro deixar tudo em ordem. Só a limpeza nos feeds que é um caso sério. Há muito tenho tentado diminuir, mas tá difícil. Espero até o final do ano ter limpado mais.


O terceiro desafio era fazer uma retrospectiva com um post por mês e explicando o porquê daquela escolha. Esse foi um pouco mais complicado. Teve mês aí que quase não teve post e outros com poucos de fato produtivos. Seja como for, aí está:


Bom, apesar de a idéia central da retrospectiva ser posts criado by myself, como em janeiro não teve na útil, acho que o melhor (ou seria menos pior?) é esse vídeo ai de uma donzela tentando estacionar seu carro em um lugar que fisicamente não cabe. Pela gritaria toda que se escuta ao fundo, presume-se que provém da Itália. Como for, é engraçado.


Fevereiro: devaneios de uma mente em ociosidade morbida. Porque esse foi "criado" a partir de um diálogo por IM com uma amiga minha lá de Fortaleza. =)

Março também não teve muita coisa interessante. Era mês de féras da faculdade e a galera estava se preparando para o sprint final. Mas tem essa prova de engenharia que eu nem me lembro mais aonde é que eu achei. De qualquer forma é engraçado também.

Abril foi praticamente um mês inútil. Ninguém ousaria dizer que este blog iria para frente. Veja.

Maio já deu uma melhoradinha. Teve bastante posts, embora não muito conteúdo, além de exarcebados posts na base do Ctrl+C/Ctrl+V. Este não é deles, embora foi baseado eu uma matéria da IINFO que afirmava que a multitarefa, característica intrínseca das mulheres, não é lá algo tão bom assim. Cá entre nós, eu já sabia.

Junho foi bem produtivo em questão de posts by myself, teve posts gigantes e polêmicos dos quais gostaria de destacar aquele que eu escrevi na época do dia dos namorados: Sobre todas as coisas, paixão e a perpetuação da espécie.

Julho foi um mês crítico. Monografia bombando e o blog jogado às moscas. Aí com falta de inspiração total, resolvi descrever um papo descontraído na hora do almoço.

Setembro bombou! Então formados, começamos a falar de tudo um pouco: o verdadeiro comunismo, indignação com a política, mercado de carbono e um monte de outras coisas mais.

Outubro foi recorde em posts. Trinta-e-três!! Mas acho que o mais importante foi aquele que eu escrevi para o LoriMeyers sobre como usar um agragador de feeds (Google Reader).

Novembro foi um mês bom. Era da informação x Otimização do tempo reflete um dilema/problema que (ainda) passo.

Dezembro está só começando, vem muita coisa boa por aí. Stay on!

sobre mulheres

//neste blog já foi discutido sobre política, economia e um até pouco de religião. dos assuntos mais polêmicos, faltava apenas mulheres. mas para tudo tem a sua primeira vez. =)

//na real, o projeto inicial era para ser um comentário no post em que a Lori Meyers meio que criticou aquelas blogueiras que fizeram um ensaio sensual, mas eu gastei tanto tempo escrevendo, e como este blog anda meio carente de posts, eu decidi torná-lo um post 'trackbackiando'-a (aiaiai, esses neologismos!). por isso, talvez seria interessante ler primeiro o que ela escreveu para depois ler minha resposta. ou não também. você que sabe.

sei lá, eu tenho uma certa "tara" por mulheres inteligentes. também não precisa ser cdf/nerd, só ter um "papo cabeça" bacana e não falar bobagens já tá beleza. ultimamente eu tenho reduzido esse critério para "não-estúpidas is ok" para facilitar um pouco as coisas. é claro que também não adianta nada ser inteligente e feia. não me venha com uma cão-chupando-manga deduzindo cobb-douglas que não vai adiantar em nada.

tipo, eu super me apaixono facim-facim por atrizes que fazem papel de inteligentes em dramas, aventuras ou até mesmo comédias românticas. sei lá, eu procuro acreditar que *de fato* elas são inteligentes. tipo erica durance, anne hathaway, liv taylor, keira knightley, entre outras.

soaria meio non-heterosexual se eu disser que não aprecio mulheres com curvas exuberantes, mas cá entre nós, penso que mulher é mais que silicones, horas em academias, e sei-lá-eu-mais-o-quê. mulher tem que ser original, autêntica (redundante não, huh?!), não ser influenciada por novelas é muitos pontos positivos, não assitir novelas eu me caso com ela. tem que também ter tipo uma 'marca registrada', para toda vez que você ler/ver/ouvir algo a respeito você lembrar dela, saca? (se bem que isso faz um mal do caramba, porque depois para esquecer é um problema =/). tem que ser independente, e ter certeza de que o homem saiba disso, mas ainda assim pedir ajuda de vez em quando só pra dar uma de 'mulherzinha'. tem que se fazer de difícil nas horas certas, mas somente nas horas certas. =) e, claro, ter todas as características intrínsecas de mulheres, tais como ser curiosa, carinhosa, compulsiva (desde que não seja com meu cartão =D), adorar dizer que está gorda só para ouvir de resposta um "num tá não", entre outras coisas mais.

enfim, a meu ver, tem uma alcatéia de características muito mais apreciáveis em mulheres do que curvas. eu sei que esse é um discurso mega clichê, e poutz! como eu odeio obviedades, mas sei lá, acho que esse lance de "mulher gostosa é o que há!" já não rola mais.

ps.: sei lá, eu nem leio o blog daquelas lá que fizeram o ensaio. e eu espero que isso seja bom. =)

//leia também: sobre todas as coisas, paixão e a perpetuação da espécie
.

segunda-feira, 3 de dezembro de 2007

Planejamento x Brasil

Bom, aqui vai um copiar-colar nem tão nervoso. É da coluna economica do Luis Nassif on-line.

Descrevendo o novo papel do IPEA (Instituto de Pesquisas Econômico Aplicadas) ele entra em um assunto que todos sabem, é importante, mas não entrou muito na cabeça dos brasileiros. A segurança nacional.

A segurança nacional tratada muitas vezes como tão somente defesa nacional, agora passa, por intermédio da IPEA, a ser tratado como algo mais amplo, envolvendo a questão energética, a alimentar e a militar concomitantemente. Ou seja, chega daquelas analises de conjuntura, chatas, batidas, que até levam a alguma conclusão, mas são chatas.

Como ele mesmo escreve: Em qualquer país avançado, o papel das instituições de inteligência é prospectar o futuro, identificar vulnerabilidades e oportunidades, alianças e conflitos, trabalhar com horizontes de décadas, não de semanas.

E ainda: O Brasil ainda não entrou no estágio de dominar a ciência da política internacional, algo complexo que exige visão econômica, geopolítica, estratégica, militar, diplomática, conhecimento histórico.

Ai na boa, estou com vergonha de ser brasileiro.

Quer desenhado, não tem, exemplos? leia a matéria na integra.

domingo, 2 de dezembro de 2007

A questão da gambiarra

Hoje o vídeo-de-domingo está cheio de críticas ao tão famoso jeitinho brasileiro, um video, sim, somente um vídeo, bem simpático, que deve ser visto e revisto quantas vezes for preciso, para não deixar escapar nenhum detalhe. E olha que são vários.



ps.: em determinadas situações o jeitinho brasileiro é essencial, eu que sei bem.

sábado, 1 de dezembro de 2007

Review: Taxi Driver



A vida solitária de taxistas em uma grande cidade. O marasmo e a insatisfação com o cotidiano com que são tomados. São dotados de insegurança e revolta com os problemas que apresentam essas cidades.
No filme Taxi Driver de 1976 Travis Bickle (Robert De Niro) é um ex-veterano da Guerra do Vietnã que trabalha como motorista de táxi durante as noites na obscura Nova York. A partir daí, ele passa a conhecer a minúcias de uma face negra suburbana, como a prostituição, a infelicidade, as drogas, e começa a se rebelar contra todos esses problemas. Até conhecer Betsy (Cybill Sheperd), uma linda mulher que trabalha na campanha para eleição presidencial, e Iris (Jodie Foster), uma prostituta de apenas 12 anos que faz com que ele seja tomado de raiva e decida cometer um atentado contra um senador e cafetões que abusam da jovem.
Com a dupla Scorsese - De Niro este filme soube trabalhar perfeitamente assuntos como violência, sexo e relações humanísticas. O que chama atenção no filme é a dificuldade encontrada pelo personagem central (Travis) em criar/manter um diálogo com os outros personagens. Constante insatisfação com a vida que leva e tristeza pela impotência de melhorar algo. Há também uma forte crítica em torno da política e suas finalidades, as ruas tomadas de “sujeiras” sem soluções. Mesmo com mais de 30 anos o filme retrata atos e imagens que vimos ainda nos dias de hoje nas grandes cidades. Quem tiver acesso, olhe o ótimo filme!

quarta-feira, 28 de novembro de 2007

Blogagem Social


today will soon be gone
like Frank Sinatra, like Elvis and his mom,
like Al Pacino's cash, nothing lasts in this life.
life is a day that doesn't last for long.

life is more than money, time was never money.

time was never cash, life is still more than girls.

life is more than hundred dollar bills and roto-tom fills.

life is more than fame and rock and roll and thrills,

all the riches of the kings end up in wills.
d-.-b | .::.: :.:.:: Switchfoot - Gone


tá rolando por aí uma iniciativa muito bacana criada pelo graveheart e co-gerenciada pela menina que joga, a blogagem social. a idéia é reunir blogueiros de determinada cidade/região para realizar alguma ação social, seja fazer doações para instituições de caridade, ou mesmo visitar asilos, orfantos, tendo visto apenas e tão somente a boa ação, e, uma tentativa de fazer o fim-de-ano de algumas pessoas que realmente necessitam um pouco melhor.
em um ano (e por que não, época) em que a so-called blogosfera só sabe falar sobre monetização e ganhar dinheiro (não que isso seja coisa ruim, at all) uma ação como esta prova que ainda somo um pouco seres humanos e que de alguma forma nos preocupamos com bem-estar do próximo.

bom, todos integrantes deste blog moram em santa maria/rs e/ou arredores e, a bem da verdade, não conheço muitos outros blogueiros por aqui, mas fica aí o convite. se estiver interessado em participar ou tem algo a acrescentar, deixe nos comentários ou mande-nos um email [blognouveaux@gmail.com]. desnecessário dizer que você não precisa ser um blogueiro para fazer uma boa-ação né. tá afim de colaborar com o movimento mas não tem um blog, sem problemas, entre em contato que a gente dá um jeito. =)

se você não é daqui das redondezas, a menina que joga fez um post com os capitães e seus respectivos headquarters de cada região para você se alistar. se não encontrar sua região por lá, que tal abraçar e iniciativa e liderar a blogagem social aí na sua região? só não esqueça de avisar os criadores da idéia, apenas por uma questão creative commons.

.

terça-feira, 27 de novembro de 2007

Clipping

*****

E saiu hoje o relatório da ONU que classifica o Brasil como "alto desenvolvimento humano", ou seja, IDH maior ou igual 0,8. Só pra recapitular, IDH é aquele índice de desenvolvimento humano que calcula e riqueza, alfabetização, educação, esperança de vida, natalidade e outros fatores para os diversos países do mundo.
Para termos estatísticos isso é bonito, representa um grande avanço, mas em termos práticos, a gente não vê muita mudança. Um dos problemas desse índice, é que ele não consegue captar a desiguladade social, ou seja, embora menos de 2% da população do Amapá tenha saneamento básico em contraste com os mais de 80% em São Paulo, essa discrepância não é captada pelo IDH.
Embora o Brasil tenha subido de qualificação, sua posição no ranking mundial caiu de 69ª para 70ª posição. Se comparado com os países do BRIC (Rússia, Índia e China -- os quatros responsáveis por cerca de 50% do crescimento mundial) o Brasil desta vez não aparece em último. Está apenas algumas posições atrás da Rússia (67ª) e na frente da China (81ª) e da Índia (128ª). Leia na íntegra aqui.

*****

Aí o Apedeuta, salafrário e pai de empresário aproveitou e saiu por aí dizendo que nunca na história deste país o IDH vai subir pacas até 2012. há-há. Façam suas opostas. Tô falando sério!

// leia também: a relação entre as maiores cargas tributárias do mundo e altos IDH's

*****

Outra notícia que pode ser considerada boa, por mais paradoxal que possa parecer, foi quebradeira geral na Bovespa na última segunda (26.11). Com ela, o Ibov voltou aos 58 mil pontos, um patamar, digamos, mais realista. Notícia excelente para quem conseguiu aproveitar a IPO da BM&F que começará a ser negociada na próxima sexta (30.11) na Bolsa de Valores de São Paulo. No entanto, a ordem ainda é "paciência". Apesar dessa queda abrupta, nada garante que não irá cair mais. O mais racional é ir com calma e investir naqueles ativos com maior confiança e evitar especulações. Leia-se, ações que se ajustaram e se aproximaram do seu valor real.

*****

E a lady Murphy não falha, foi só piorar um pouco o ambiente financeiro externo ainda devido à crise, diga-se de passagem, *interminável* dos subprimes estadunidenses e já tem gente dizendo que o tão sonhado e esperado "grau de investimento" não chega em terras tupinambás até 2008. Quem disse isso foi o diretor da agência de classificação de risco de crédito Fitch Ratings no Brasil, Rafael Guedes, que explica por amaisbê aqui.

// leia também: O Brasil e o "Grau de Investimento" e entenda o que de fato vai (ou não) mudar.

*****

Mas, falando em ambiente externo conturbado, foi só eu falar para o @graveheart (ou também GuraveHaato desu ka?) que não era uma boa hora para comprar dólar que a moeda americana disparou a subir. E ainda tem especialistas dizendo por aí que não há muitas perspectivas de quedas, devido principalmente à realização de lucros das multinacionais (que enviam seus dolares para suas matrizes) e também a aversão a risco por parte dos investidores estrangeiros. Essa aversão seria por causa das preocupações com a economia dos Estados Unidos e às notícias recentes no Brasil sobre a criação de um fundo soberano e a possibilidade de maior intervenção no câmbio. Falou outras coisas também.

*****

Resumo da ópera: Rapadura é doce, mas não é mole não.

.

segunda-feira, 26 de novembro de 2007

As melhores tirinhas do mês

Não necessariamente nesta ordem (clique na imagem para ampliá-las).


Lição do Calvin para todos os homens:

e por fim, algo que eu pensei que só acontecia aqui no Brasil

domingo, 25 de novembro de 2007

Flato de fato

Conforme relatado em alguns posts anteriores, a culpa do aquecimento global é das vacas. Opa, melhor lembrar que os vídeos-de-domingo não guardam uma relação estrita com a realidade, sendo meramente instrumentos de prender o leitor ao blog no domingo à tarde, esse pedaço de semana tão sem graça. Retomando, o primeiro vídeo explica o porquê e como acontece, vejam só que engraçado, a culpa é delas mesmo:

Não reparem no jabazão, esse post nem é patrocinado.



E isso, o flato, pode trazer conseqüências sérias ao homem, e não somente pelo terribilíssimo aquecimento global causado, vejam essas duas histórias verídicas:

Tudo indica que foi adaptado de jogos mortais:



E aqui, um filme dos trapalhões onde o Dedé e o Mussum .. bom, vejam com seus próprios olhos:




Ps.: esse Mussum é demais!

sábado, 24 de novembro de 2007

Review: Janela Indiscreta (Rear Window)



O filme desta semana trata de um assunto muito próximo ao nosso dia a dia. Intrigas e cobiça pela vida alheia aliados a falta de uma ocupação diária. A busca incessante e viciosa por acontecimentos relevantes no cotidiano das outras pessoas.
Trata-se de um dos magníficos filmes de Alfred Hitchcock retratando nitidamente seu perfil genial para o suspense. Em Janela Indiscreta o fotógrafo profissional J.B. “Jeff” Jeffries (James Stewart) está debilitado em uma cadeira de rodas devido a uma perna quebrada, o que faz com que nasca nele uma obsessão pela observação dos dramas privados dos seus vizinhos ao redor do pátio onde vive. Quando suspeita que um vendedor possa ter assassinado a sua esposa, Jeffries pede ajuda a sua namorada e socialite Lisa Casol Fremont (Grace Kelly), para investigar os fatos suspeitos.
Janela Indiscreta foi um filme que marcou época, possui uma filmagem simples (normalmente retratando a visão do Jeffries), filmado quase em sua totalidade em um único cenário que representa o apartamento do fotógrafo, de onde ele consegue, através da janela, observar seus vizinhos. Como dito antes, o filme retrata alguns valores que nele foram postos a prova. Percebe-se que estes valores não precisam estar inseridos em um contexto atual, uma vez que este filme é de 1954, o que não tira sua importância e brilhantismo.

sexta-feira, 23 de novembro de 2007

Regras básicas para Power Point

Como já disse o Fabio Seixas, fazer uma boa apresentação em Power Point é uma arte dominada por poucos. Eu já presenciei algumas apresentações nada agradáveis, algumas até sob a égide "insitucionais". Figuras desencessárias, tabelas incompreensíveis e tópicos ilegíveis.
Então, nada melhor do que uma baita metalinguagem e aprender a fazer apresentações de slides através de uma apresentação de slides. Enjoy!




Via Fabio Seixas, versão .txt

quinta-feira, 22 de novembro de 2007

Populismo: o "anti-crescimento sustentável"

Foi veiculado nos principais jornais (só para nomear alguns: Agência Brasil e G1) no dia 20 de novembro (dia da consciência negra), sobre a entrega do primeiro Banco Comunitário Quilombola do Brasil às comunidades de Alcântara, no Maranhão. Com a inauguração do banco, a população terá acesso fácil ao crédito com juros de 0,5 a 2% ao mês, sem burocracia. A instituição também vai operar com uma moeda social chamada Guará, que terá o mesmo valor do real e vai ser feita pela Casa da Moeda. O banco vai contar com um fundo de R$ 50 mil, dos quais R$ 30 mil são do Banco Popular do Brasil e R$ 20 mil da Secretaria Estadual do Trabalho e Economia Solidária do Maranhão.

A idéia até que é bacana se não fosse alguns detalhes:
i) Enquanto o munda passa por uma era de globalização, onde todos querem aproveitar ao máximo uns aos outros, criando blocos econômicos, moedas únicas (já se comenta até em uma futura moeda única no Mercosul), qual é o sentido de criar uma moeda diferenciada para a comunidade quilombola?
ii) Mal começou e já apresenta fortes indícios de crise de crédito. Os juros, via de regra, são cobrados para, além de remunerar o capital, cobrir os gastos com os inadimplentes e afins. Sem burocracia, qualquer um pode chegar lá no banco e pedir dinheiro "emprestado". Somado isso à baixíssima taxa de juros, não precisa ser muito esperto para verificar a insustentabilidade do modelo.

E essa deve ter sido mais uma idéia do tipo elefante branco de nosso políticos, que estão mais preocupados com populismo do que com crescimento (de fato) sustentável. Uma pena.

quarta-feira, 21 de novembro de 2007

O brasileiro

O Brasil vem provando com destreza que é um país em desenvolvimento, mas não sei desenvolvimento do que, no máximo está desenvolvendo o brasileiro, essa figura única no mundo.

Agora que foi provado o fato da economia brasileira mais poluir do que crescer, ou melhor, para crescer ela emite mais poluição comparada com as outras economias, o brasileiro, está, ou deveria ficar, com medo do mercado de carbono dar uma mordida no seu calcanhar. O crescimento está se dando de forma errada, como ocorria no passado, com mais poluição, quando deveria ser o contrário. Isso pode indicar várias coisas, mais pessoas andando de carro, carros mais poluentes ou a maior oferta de energia não-limpa, mas todos esses aspectos remetem simplesmente à falta de planejamento e visão de futuro.

E a prova disso é a comemoração em torno da descoberta de mais e mais petróleo no território nacional, cogitou-se a entrada do Brasil na OPEP (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) afinal, quem não quer isso, aqueles países são maravilhosos e o petróleo é o futuro, não é? Mais umas duas décadas de atraso mental.

Visto tudo isso, é como alguém que sabe que o telhado brasileiro é de vidro, mas com certa blindagem, que parecem ser as relações mundiais com o Brasil, no âmbito do Protocolo de Quioto, o que possivelmente resultará na imposição de limites de emissões de GEE (Gases do Efeito Estufa) contra a possível fanfarronice energética brasileira.

Mas quem sabe assim liberem, subsidiem e implorem para que ocorra a importação dessas belezinhas aqui e aqui. Não seria legal?

terça-feira, 20 de novembro de 2007

Clipping

*****

Na você s/a saiu uma matéria interessante sobre previdência privada (Futuro Milionário), uma área que tem crescido bastante ultimamente e que tem feito muitos bancos e fundos de investimentos rirem à toa. No entanto, a ênfase da matéria é mais sobre a diferenciação entre PGBL e VGBL (dois sistemas diferentes de capitalização para previdência) mostrando qual dos dois é mais vantajoso e em quais situações. Vale a pena dar uma conferida para quem estiver interessado em garantir um futuro melhor. E prometo em uma outra hora explicar melhor essas sopas de letrinhas.

*****

Enquanto isso na exame, uma breve reportagem falando sobre a maior empresa do mundo em valor de mercado: a PetroChina -- avaliada em 1 trilhão de dólares, algo totalmente incomensurável para nós, meros mortais. Mas o mais interessante na matéria é o quadro que traz as dez maiores empresas do mundo. Dentre as dez, além da maior, outras duas empresas são chinesas, contra quatro americanas. Dividem a terceira posição, com uma empresa cada, Rússia, Inglaterra e Brasil -- emplacando a Petrobrás na 10ª colocação. Outro dado interessante no quadro é a coluna "ramo de atuação". Cinco das dez maiores atuam na área de energia (curiosamente, uma de cada país, e mais curioso ainda, dos 5 países, quatro estão entre os 5 maiores em extensão territorial, que coisa não?). Outras duas atuam nas telecomunicações, e, com uma cada, software (Microsoft), financeiro e indústria.
Curioso também não ter aparecido nenhuma indiana nesse meio. Talvez porque a india experimenta um crescimento "falso". Na verdade o cresce por lá são as multinacionais por lá instaladas que se aproveitam da mão-de-bra super abundante e qualificada (ênfase no *e*) visto que a Índia tem um sistema educacional forte e pesados invesitmentos em P&D (seja por parte das empresas ou do governo). Desnecessário dizer que é um cenário totalmente diferente do que acontece por cá, em terras tupinambás. Mas ainda assim, temos uma brasileira entre as dez maiores e nenhuma indiana. Vai ver porque Deus é brasileiro.

*****

Ainda na Exame, uma lista de 5 ações que "prometem" bombar na bolsa de valores. "Prometem" porque com essa quebradeira geral, as ações desvalorizaram pacas e têm tudo para voltar com todo o vapor. Segue aí as tais:

Energias do Brasil (ENBR3)
Santos Brasil (STBR11)
Copel (CPLE6)
Globex (GLOB4)
Profarma (PFRM3)

Vale lembrar que é uma previsão da revista Exame e, como todas as outras previsões, não necessariamente implica em dizer que estas ações irão de fato subir. Fica a critério do investidor optar por tais ou não.

domingo, 18 de novembro de 2007

Aquecimento global /o\

Estão ai dois vídeos que fazem graça com o aquecimento global, essa coisa chata que só incomoda, afinal, segundo a desciclopédia, essa é mais uma merdinha inventada pelos cientistas e presidentes para deixar tudo mundo ligado nisso enquanto eles roubam dinheiro e nós falamos sobre enfiar uma rolha no da vaca pra ela parar de poluir.

Tem alguém que gosta do aquecimento global, veja só:


Enquanto isso, o Al Gore diz que não é bem assim, vejam como ele está disposto a eliminar qualquer coisa que se atravesse em seu caminho direto para a presidência dos EUA, digo, à conscientização ambiental.


E em outra categoria, de um modo mais ameno, talvez isento de pretensões ridículas, esta campanha da WWF comove o povo como nunca, talvez seja pelos patinhos. Ta mas esse não é zombaria pessoal, esse ultimo video é sério. Alguém se arrisca a cortar uma árvore depois dessa?

sábado, 17 de novembro de 2007

Review: Reine Sobre Mim (Reign Over Me)



Uma perda inesperada, uma vida transformada. Acidentes quando ocorridos modificam nossas vidas, nos deixam desnorteados, sem rumo, direção ou sentido. Traumas são abertos e o isolamento se torna uma saída fácil e covarde.
Esta situação é a vivida por Charlie Fineman (Adam Sandler) em seu mais novo filme Reine Sobre Mim. No longa Charlie perde repentinamente a esposa e a filha em um acidente aéreo. A história retrata a vida de Alan Johnson (Don Cheadle), amigo de Charlie da época da faculdade de odontologia, que percebe que está deixando de lado sua vida familiar em razão de sua vida profissional. Após reencontrar o amigo que não via há anos, eles se tornam muito unidos e Alan tenta ajudar seu amigo a superar o ocorrido e retomar sua vida.
O filme, em se tratando de um drama, leva seus espectadores a refletir sobre como levamos nossas vidas. Tanto no caso de Alan, que vive afastado do ambiente familiar e com problemas em relação a sua profissão, como no de Charlie, que desde o acidente tem uma vida sedentária e sem motivação. Percebe-se no filme o valor que ele dá para as relações entre os personagens, o apego ou saída de um para com o outro.

Revivendo

Agora sim, resolvi mais uma das pendengas da minha vida.

Como um belo nerdzinho que era, viciado em Lego, passava horas a encaixar as pecinhas até que pimba! surgia mais uma daquelas maravilhosas criações, que dá orgulho de ver, aquela história de que você mesmo fez e que só você tem e por conseqüência, ficava lá montado por muito muito tempo, orgulho puro. E o resultado disso tudo, falta crônica de peças.

Então, recentemente me deparei com o blog de brinquedo, que não é um exemplo de blog sobre Lego, mas o meu filtro ultra tendencioso deu uma super importância aos poucos Legos que lá vi, a princípio somente achei bonito, lembranças surgiram, enfim. Em pouco tempo estava eu com um brinquedinho novo, mas desta vez não precisei ir correndo pegar minhas pecinhas que ainda estão aqui em casa, apenas instalei um simulador de Lego no pc! o que teoricamente elimina o problema da falta de peças, embora desconfie que elimine boa parte da emoção também.

Engraçado, existe um lag na minha vida, relativamente curto, mas nada assim tão trágico, entre o fim da infância e o começo do uso racional da internet, que faz com que coisas como essas aconteçam, outro exemplo disso relatei nesse post do Super Mario.

Ps.: Ainda monto um belo Lego Technic.

quinta-feira, 15 de novembro de 2007

Brasil, o gigante verde tranqüilo

Em uma alusão à ‘limpeza’ da economia brasileira, essas do titulo, foram as palavras do secretário-geral da ONU, o sul-coreano Ban Ki-moon.

Sim, o Brasil é um gigante, mas em território. De resto, é tudo em potencial, no Brasil tudo é em potencial, e enorme, diga-se de passagem.

Verde ele é, mais de 45% de nossa energia vem de fontes renováveis, enquanto os demais países pretendem chegar a algo em torno de 10% em .. alguns anos. Tem também a floresta amazônica, lá no canto do País.

Tranqüilo, bom, isso é a brasilidade em sua essência. Se não fosse o ‘descobrimento’ do Brasil, ainda seríamos índios dormindo pelados em redes e fazendo a dança da chuva, fumando o cachimbo da paz, as novelas da globo e a religião não iriam existir e .. opa.

Mas voltando ao assunto .. o brasileiro é o povo que mais acredita que deverão ocorrer mudanças de comportamento em função das mudanças climáticas, mas toda essa boa vontade tem algo mais profundo a revelar. Imaginem a cena, um brasileiro esbravejando que mudará, mudará sim seu estilo de vida, que já é precário, mas por favor, que não aumentem os impostos, peloamordedeus! Tudo isso, claro, dito em um tom dramático, com o sujeito já arrancando os cabelos, digno de tortura em filme de terror, pois bem, essa é a resposta dele ao questionário sobre aumento de impostos no combate ao aquecimento global.

Toda essa balela tem até um fundamento, umas pesquisas, revelaram que existe a consciência de norte-americanos e chineses em relação aos problemas causados pelo aquecimento global, mas também revela que eles estão dispostos a pagar mais impostos para combater isso. Agora, isso é confiança no governo ou puro comodismo?

quarta-feira, 14 de novembro de 2007

Informações aleatórias

Depois do sucesso da IPO da Bovespa Holding, que deixou os investidores rindo à toa, vem aí a BM&F prometendo muito também. A verdade é que a quantidade de empresas que estão abrindo capital vem crescendo assustadoramente, bem como a quantidade de pessoas físicas que estão começando a investir na bolsa -- saltou de 85 mil em 2002 para 245 mil em 2007.
Isso é bom para o país e bom para a economia como um todo. A democratização do mercado financeiro reflete a confiança e solidez da economia.
Mas estes números ainda são baixos, segundo estatísticas, apenas 3% dos brasileiro investem na bolsa, seja diretamente ou através de fundos de investimentos. Lá nos EUA, essa porcentagem chega a 50%.


E essa onda de abertura de capital não é só por aqui. Segundo especulações, o piloto inglês da McLaren Lewis Hamilton (aqule juvenil que perdeu o título de 2007 para o Kimi Räikkönen), teria recebido uma proposta de publicitários para criar a Hamilton S.A., empresa que será responsável pela imagem do esportista no mercado da propaganda. Para criação de tal, o jovem inglês de 22 anos receberia a bagatela de 72 milhões de euros e, ao se aposentar, analistas preveêm que Hamilton terá em conta algo em torno de 1 bilhão de euros, devido a valorização de sua imagem. Eu diria, uma aposentadoria tranqüila.

VIA: America Invest e Marca

terça-feira, 13 de novembro de 2007

Era da informação X Otimização do tempo

we got information in the information age /
but do we know what life is /
outside of our convenient lexus cage?

Eu não sei quanto a vocês, mas eu tenho um pequeno problema com gestão do meu tempo. Tenho gasto ultimamente muito tempo em frente ao GReader lendo, na maior parte do tempo, notícias. Mas isso até que não é em tudo ruim. O problema é que acabo lendo algumas notícias que não contribuem em nada, além de, pelo fato de ler mais de uma fonte de notícas, acabo por ler algumas, úteis ou não, repetidas vezes (obviamente que não a matéria completa, mas a headline).

Hoje pela manhã, me surpreendi pela quantidade de vezes que tinha lido que o paupérrimo príncipe saudita Alwaleed bin Talal fez o primeiro pedido de um A380 (aquele maior avião do mundo) só para ele. Para vocês terem um idéia do que estou falando, vejam só o resulta de "principe saudita A380". Todas matérias devem dizer quase a mesma coisa. Algo que vai custar cerca de 300 milhões de dólares à sua fortuna estimada em 20 bilhões. [comentário do autor] Em valores mais mensuráveis, imagine você com R$ 20 mil querendo um brinquedinho de R$ 300. [/comentário]

Vivemos na época da informação, e isso é irrefutável. Precisamos estar atentos a tudo e a todos para sobrevivermos. O problema é a enchurrada de informação que nos é passada, muitas delas totalmente inúteis. Saber filtrá-las de uma maneira ótima, é uma busca constante. Os agregadores de feeds já ajudam bastante nesse sentido, poupando valiosíssimo tempo, mas a má utilização dele pode provocar um processo reverso vertiginoso.
Terminei de ler ontem "Gestão Financeira Moderna - Reinventado o CFO" do Jeremy Hope, e o que posso dizer após a leitura é que um dos temas do século é "simplicidade" ("simplicidade" means "não-complexidade"). O livro basicamente traz dicas sobre como evitar ao máximo o desnecessário (informações desnecessárias, relatórios desnecessários, pessoas desencessárias), que em grandes corporações, acabam incorrendo custos altíssimos no orçamento anual.

Mas não só em grandes corporações. Em nosso dia-a-dia também. Saber cortar o desnecessário, otimizar a utilização do tempo, calcular precisamente custos de oportunidades para enfrentar destemidamente trade-offs devem ser uma busca constante.
A real é que preciso mais-que-urgentemente de uma política de unsubscribe para meu GReader. Se alguém quiser compartilhar a sua, por obséquio, sinta-se a vontade.


segunda-feira, 12 de novembro de 2007

Uísque ou bolsa de valores?

E o estadão seguindo sua filosofia de pensar "inho", publicou hoje uma matéria um pouco controversa (what's new?).

"Uísques raros podem ser mais lucrativos que investir na bolsa"

A matéria comenta o lançamento do World Whisky Index, que traduzido mal e porcamente seria algo como Índice Mundial do Uísque (???), um site especializado em compra e venda de uísques raros e caros.
Segundo a matéria, o uísque pode ser um ativo altamente lucrativo para investidores que têm aversão a riscos. Para o fundador dessa balela, Michel Kappen, não há riscos de perder seu dinheiro investindo em uísque, garantindo estabilidade e uma taxa anual de retorno de 12%.

Tudo bem que o risco pode não existir, mas também pudera (!!!), a 12% anuais, nem o mais conservador dos conservadores consideraria uma proposta como esta. Qualquer fundo hedge hoje está rendendo quase o dobro disso aí. Fundos de investimentos considerados 'super conservadores' prometem em média de 20 a 24% anuais. Eu juro que não entendi a parte do "altamente lucrativo".

Mas, se ainda assim se simpatizar com a idéia de investir em uísque, ou estiver interessado naquele uísque de 1926, taí o link www.worldwhiskyindex.com.


VIA: estadinho

P.S.: Eu só espero que o AdSense não apele com tanto "uísque" no texto.
P.P.S.: Tudo bem que a matéria não era do estadão, mas da Reuters. Whatever, publicou, assinou em baixo.

Motorosul


O imprevisto que tive no final de semana, o qual me levou a não postar na série, vídeo de domingo, na verdade, não foi tão imprevisto assim. Eu estava em um encontro de motociclistas em Rosário do Sul - RS, o Motorosul.

Moto encontro é aquela loucura, vive-se por um dia e meio em outro mundo, totalmente diferente, onde todos têm em comum a paixão pela sua moto, e pelo motociclismo, e isto inclui o estilo de vida “born to be wild”.

O interessante é a reunião de um circulo vicioso de amizades, com muito rock n’ roll, cerveja (opcional) e barulho (item de série). Lá tinha muita gente legal, feia, os barbudos predominavam, alguns gordões engraçados, cabeludos, só o carisma mesmo pra unir esse pessoal.

Desta vez fomos (família) de carro, então, foi possível arrumar um belo acampamento. Muita gente acampa lá, mas poucos conseguem – ou querem – dormir. O esquema é mais ou menos assim, chega na sexta ou sábado, volta no domingo e .. posta na segunda ..

domingo, 11 de novembro de 2007

Wing Suit

Como o postador oficial do vídeo-de-domingo, devido a alguns imprevistos, não pôde postar hoje, aqui vou eu tentando quebrar um galho.



O assunto da vez é a nova onda do paraquedismo wingsuit flying, que segundo a wikipedia, é a arte de voar usando apenas jumpsuits (um tipo de macacão para-quedas).
O wing começou em 1930, mas naquela época a segurança ainda era bem precária. Para se ter uma idéia, entre 1930 e 1961, 72 dos 75 'birdmen' (como são chamados os profissionais do wing suit) morreram ao tentarem usar seus wingsuits. Só no meado da década de 1990 que conseguiram desenvolver um wingsuit mais seguro e que não comprometia sua performance.
É uma boa para quem curte velocidade. Chega aos 120km/h na vertical e pode chegar a até 200 km/h na horizontal.



Mas apesar de toda a velocidade, o que os birdmen tem tentado é reduzir sua velocidade vertical tentando diferentes técnicas de vôo, dando um tempo maior para a experiência de liberdade e a sensação de voar que o wing suit proporciona.



No Brasil, essa prática começou no final da década de 1990 mas só agora tem começado a se popularizar. Talvez devido ao preço do macacão que é meio salgado, por volta de 580 doletas.

Via: 360º (português) e Wikipedia (inglês)

sábado, 10 de novembro de 2007

Review: 88 Minutos (88 Minutes)


Como funciona a cabeça de serial killer, ou matador em série? Como são executados seus assassinatos e crimes? Como ele lida com seu livre arbítrio? Quem são as pessoas/peças que estão envolvidas?
Estas são algumas perguntas que o professor de psicologia forense e psicanalista da FBI Jack Gramm (Al Pacino) tem que desvendar no filme 88 Minutos. O único problema é que a vítima da vez é ele próprio, e tem apenas 88 minutos para descobrir quem está por traz do conchave que quer vê-lo morto. Não podendo perder tempo e todos sendo vistos como suspeitos Jack corre contra o tempo para salvar a sua vida. Conta com a ajuda de uma de suas alunas que é apaixonada por ele Kim Cummings (Alicia Witt) e sua secretária Shelly Barnes (Amy Brenneman).
O filme engloba alguns assuntos polêmicos, como pena de morte, ética profissional entre outros e a atividade profissional de psicologia forense – no caso do filme usado para o assassinato em série – que não é muito utilizada no Brasil. É um filme que prende atenção do início ao fim, então se concentre! Tic-Tac!

Querendo ver os outros Reviews ou comentários sobre filmes clique aqui.

sexta-feira, 9 de novembro de 2007

Angeli mais uma vez ótimo


precisa de legenda?

vale lembrar que este que vos escreve, escreveu também que os países com as maiores cargas tributárias são os que apresentam os melhores IDH, mas isso porque eles sabem utilizar os impostos decentemente, coisa que não acontece em terras tupinambás, infelizmente.

pá e tá

e ouvindo o nerdcast #85 ontem (sim, atrasado, eu sei) ouço o cidadão dizendo: "a banda explodiu lá nos eua, literalmente, fez mó sucesso e continua explodindo ainda".
m-m-mas peraí, como assim? se eu tivesse maior poder mediático lançaria a campanha: use o literalmente literalmente!

*****


e o twitter bombando (literalmente ???) nas revistas essa semana, tanto na isto é quanto na exame. ênfase para a reportagem da exame que citava também o facebook, colocandos os dois como "serviços" da web que estão crescendo pacas mas de rentabilidade duvidosa, e lembrando também da bolha da web na década passada. mas os tempos são outros. a bem da verdade, choveu no molhado para quem acompanha a blogosfera e a twittosfera de perto. (esses neologismos que me preocupam). eu só espero que essas reportagens não façam chover miguxos por lá.

*****


eu já disse aqui que eu folheio a veja só pela coluna do millôr, né?! então:
"eu não me responsabilizo por pomba nenhuma, companho, não sei o que vai acontecer depois. quem tem prospectiva, expectação, probabilidades, antevisão, prenúncio, conjectura, prognóstico, antevisão, cheirar ao longe, prelibação, presciência, vaticínio, é economista. pergunta aos economistas aí. tem tanto."
leia a coluna completa aqui.

*****


e a nossa enquete chegou ao fim e eu ainda não tinha comentado sobre isso. com 50% dos votos válidos, the beatles ganhou do che guevara (38%), e outros concorrentes, em popularidade comprovando mais uma vez que eu estava certo. (what's new?) much love a todos que tornaram isso possível. =)

quinta-feira, 8 de novembro de 2007

Crise de crédito [coming soon]

Outrora eu fiz um breve comentário em um post passado que muito em breve o Brasil porderá cair na armadilha do crédito. Por que? Simples, basta sairmos hoje às ruas e verificar o quão fácil é conseguir créditos, e não me refiro aqui a quantidade exorbitante de financeiras e afins que multiplicam-se em cada esquina. Falo de outros empreendimentos que oferecem crédito fácil como atrativo para novos clientes com parcelas a perder de vista. Além das tradicionais financeiras e cooperativa de crédito, hoje qualquer rede de lojas, seja de roupas, eletro-eletrônicos ou até supermercados oferecem cartão de crédito a seus clientes. O grande problema vai ser quando os consumidores terão mais créditos do que podem pagar efetivamente, e, por isso, a inadimplência subir, gerando assim os créditos podres. E que, penso eu, não está muito distante de acontecer.
O que tem salvado o Brasil ultimamente de uma catástrofe é a tendência de queda dos juros que vem sofrendo cortes constantemente e tem facilitado o pagamento das dívidas, caso contrário a encrenca seria bem grande.
O presidente da General Motors do Brasil, Ray Young, já alertou em uma entravista ao Portal Exame: "O crédito farto para o financiamento de veículos, com prazos para pagamento de até sete anos, pode provocar uma crise financeira semelhante à que ocorre atualmente no mercado imobiliário norte-americano com as hipotecas de risco. 'Pode ser o nosso subprime'".
E isso que ele se refere apenas o setor automobilistico, mas infelizmente, não é apenas no setor automibilístico que está sobrando créditos. A saber, o mercado de cartão de crédito tem crescido assustadoramente. Somando isso à notícia que a maioria destes cartões vão para a classe C e D, é só ligar os pontos e a situação fica um pouco mais alarmante.
E não precisa ir muito a fundo para descobrir isso, é só acompanhar o noticiário que a gente percebe a bolha de crédito que está se formando e parece que ninguém está vendo. Eu só espero que quando decidirem fazer algo não seja tarde demais.

Links Bacanas #7

depois de um longo tempo, links bacanas está de volta com links que mudarão a sua vida.

tecla SAP: para você que quer sair do embromation. lá tem dicas bacanas, traduções contextuais, expressões idiomáticas e mais um monte de coisa, atualizado quase que diariamente.

m-m-m-mas peraí. você não quer ter o serviço de todo dia ter que entrar lá para ver as atualizações. simples, aprenda como usar um agregador de feeds como o nosso tutorial e economize seu tempo. =)

remember the milk, ou, ao pé da letra, lembre-se do leite. a idéia é exatamente essa, lembrar você do vencimento do leite que está na geladeira, mas também pode servir para lembrar de dar banho no cachorro, de trocar o óleo do carro, daquela reunião xarope que não tem como evitar, daquela prova que o professor marcou lá no início do semestre, do aniversário da data de namoro, enfim, do que você quiser. para os esquecidos de plantão, é uma boa.

veja também todos os outros links bacanas (ou não) que foram indicados por aqui.